Novo Coronavírus (MERS-CoV)
20/06/2018 - 08:33

Entre 12 de janeiro e 31 de maio de 2018, o Ponto Focal Nacional do RSI da Arábia Saudita relatou 75 casos confirmados laboratorialmente da síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS_CoV), incluindo 23 mortes.

De 2012 até 31 de maio, o número global de casos de MERS-CoV confirmados em laboratório desde 2012 é de 2.220, com 1.844 casos na Arábia Saudita. Entre esses casos, ocorreram 790 mortes associadas.

Entre os últimos 75 casos, 21 faziam parte de quatro clusters distintos (2 em ambientes de saúde e 2 agregados familiares). Grupo 1: De 2 a 4 de fevereiro, um hospital privado na região de Hafer Albatin relatou um grupo de três (3) profissionais de saúde, além do caso índice suspeito (quatro [4] casos no total). Grupo 2: De 25 de fevereiro a 7 de março, um hospital em Riad relatou seis (6) casos, incluindo o índice suspeito. Nenhum profissional de saúde foi infectado. Grupo 3: De 8 a 24 de março, um grupo doméstico de 3 casos (caso de índice e 2 casos secundários) foi relatado em Jeddah. Nenhum profissional de saúde foi infectado. Grupo 4: De 23 a 31 de maio, um aglomerado domiciliar foi relatado na região de Najran, com oito casos, incluindo o caso índice suspeito. Este cluster ainda está sob investigação. Até 31 de maio, nenhum profissional de saúde foi infectado e acredita-se que a fonte da infecção seja camelos na casa do paciente inicial.

A MERS-CoV causa infecções humanas graves que resultam em alta mortalidade. Os humanos são infectados por contato direto ou indireto com camelos e também pode ser transmitido entre humanos. Até agora, a transmissão de pessoa para pessoa foi observada principalmente em ambientes de atenção médica.

A notificação de novos casos não altera a avaliação de risco geral. A OMS prevê novos relatos de casos no Oriente Médio, e a exportação para outros países por meio de pessoas infectadas após exposição a animais ou produtos de origem animal (por exemplo, após contacto com camelos) ou de origem humana (por exemplo, em um centro de saúde). A OMS continua monitorando a situação epidemiológica e realiza a avaliação de risco com base nas informações mais recentes disponíveis.

Enquanto não houver conhecimento mais profundo sobre a MERS-CoV, deve-se considerar que as pessoas com diabetes, insuficiência renal, doenças pulmonares crônicas ou imunossupressão têm maior risco de contrair a doença grave. Portanto, devem evitar contato próximo com animais, em especial com camelos, quando visitam fazendas, mercados ou estábulos onde o vírus pode estar circulando. Medidas higiênicas gerais, como lavagem sistemática das mãos, devem ser adotadas antes e depois de tocar nos animais e evitar o contato com animais doentes. Medidas de higiene alimentar também. Deve-se evitar o consumo de leite não pasteurizado, bem como carne que não esteja devidamente cozida.


Novo coronavírus (MERS-CoV)

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias