Alertas

10/02/2020

Novo Coronavírus: orientações aos viajantes

Saúde do Viajante

As medidas de saúde para proteção e controle da infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCoV) estão sendo construídas à medida que a Organização Mundial de Saúde - OMS consolida as informações recebidas dos países afetados e novas evidências técnicas e científicas são publicadas.

O Ministério da Saúde - MS e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA estão divulgando as informações em seus sites oficiais e mídias sociais, especialmente para orientar os viajantes sobre as medidas de precaução para a infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCoV). As recomendações aos viajantes visam reduzir a exposição e transmissão da doença. Sendo país signatário do Regulamento Sanitário Internacional – RSI, as autoridades de saúde do Brasil estão monitorando e seguindo as recomendações definidas pela Organização Mundial da Saúde - OMS. Até o momento, não há indicação para aplicação de quaisquer restrições ao tráfego internacional com base nas informações disponíveis sobre esse evento.

Considerando a necessidade de medidas de precaução, e com a alteração dos níveis de alerta pela OMS em relação ao risco global da infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCoV), o Ministério da Saúde orienta que viagens para a China devem ser realizadas em casos de extrema necessidade.

 

Recomendações aos viajantes que estejam planejando ir ao exterior  

Evitar viagens para China. É recomendado que as viagens para a China sejam realizadas em casos de extrema necessidade;  

Verificar junto a embaixada ou sites oficiais do país de destino quais as medidas recomendadas pelas autoridades de saúde locais;  

Adotar medidas de precaução padrão:  

Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente antes de ingerir alimentos, após utilizar transportes públicos, visitar locais com grande fluxo de pessoas como mercados, shopping, cinemas, teatros, aeroportos e rodoviárias. Se não tiver acesso à água e sabão, use álcool em gel a 70%.  

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos e outros utensílios.  

 Evitar tocar mucosas dos olhos, nariz e boca sem que as mãos não estejam higienizadas.  

Proteger a boca e o nariz com um lenço de papel (descarte logo após o uso) ou com o braço (e não as mãos) ao tossir ou espirrar.

 

Recomendações aos viajantes que se encontram no exterior

Aos viajantes que se encontram no exterior, é orientado seguir as recomendações das autoridades de saúde locais e as seguintes medidas de prevenção e controle para infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCoV):  

Evitar contato com pessoas com sintomas respiratórios.   Evitar contato com animais (vivos ou mortos).

Evitar o consumo de produtos de origem animal cru ou mal cozido.  

Evitar a visitação em locais com registros de transmissão de casos suspeitos ou confirmados para a infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCoV).   Caso necessite de atendimento no serviço de saúde, informar detalhadamente o histórico de viagem e sintomas.  

 

Adotar medidas de precaução padrão:

Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente antes de ingerir alimentos, após utilizar transportes públicos, visitar locais com grande fluxo de pessoas como mercados, shopping, cinemas, teatros, aeroportos e rodoviárias. Se não tiver acesso à água e sabão, use álcool em gel a 70%.  

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos e outros utensílios.  

Evitar tocar mucosas dos olhos, nariz e boca sem que as mãos não estejam higienizadas.  

Proteger a boca e nariz com um lenço de papel (descarte logo após o uso) ou com o braço (e não as mãos) ao tossir ou espirrar.

 

Recomendações aos brasileiros que estão retornando ao Brasil  

Se você esteve na China nos últimos 14 dias e apresentar febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico imediatamente e informe detalhadamente o histórico da sua viagem sobre os locais visitados anteriormente.  

Evitar o contato com outras pessoas se apresentar sinais ou sintomas respiratórios.  

Evitar viajar enquanto estiver doente.  

Adotar medidas de precaução padrão:  Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente antes de ingerir alimentos, após utilizar transportes públicos, visitar locais com grande fluxo de pessoas como mercados, shopping, cinemas, teatros, aeroportos e rodoviárias. Se não tiver acesso à água e sabão, use álcool em gel a 70%.  

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos e outros utensílios.  

Evitar tocar mucosas dos olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam higienizadas.  

Proteger a boca e o nariz com um lenço de papel (descarte logo após o uso) ou com o braço (e não as mãos) ao tossir ou espirrar.

Se você viajou para a China, nos últimos 14 dias, e ficou doente com febre, tosse ou dificuldade em respirar, deve:  

Procurar atendimento médico imediatamente e informar detalhadamente o histórico de viagem recente e seus sintomas.  Evitar o contato com outras pessoas se apresentar sinais ou sintomas respiratórios.  

Evitar locais com muita aglomeração de pessoas ou muito fechados.  Recomendável não viajar enquanto estiver com sinais e sintomas respiratórios e/ou doente.  

Adotar medidas de precaução padrão:   Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente antes de ingerir alimentos, após utilizar transportes públicos, visitar locais com grande fluxo de pessoas como mercados, shopping, cinemas, teatros, aeroportos e rodoviárias. Se não tiver acesso à água e sabão, use álcool em gel a 70%.

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos e outros utensílios.  

Evitar tocar mucosas dos olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam higienizadas.  

Proteger a boca e o nariz com um lenço de papel (descarte logo após o uso) ou com o braço (e não as mãos) ao tossir ou espirrar.

Importante ressaltar que as pessoas com 60 anos ou mais, os indivíduos com doenças crônicas não transmissíveis ou condições clínicas especiais possuem uma maior probabilidade de agravamento pela infecção humana pelo novo coronavírus (2019-nCoV).

Fonte: Ministério da Saúde

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.